5 de jun de 2007

SANGUE ...

Décimas dedicadas a todos os "Dadores de Sangue", que doam um pouco da sua vida em prol de outras vidas mais necessitadas... O Mote (Quadra) está exposto num monumento em homenagem a todos os "Dadores de Sangue", na vila de Borba.


"Sangue"

Sangue é vida que se doa,
Numa terna e grata prova;
Do amor de uma pessoa
Que pratica a Boa-Nova...

I
Sangue, viçoso e vermelho,
Fonte de vida que aquece...
Brota do corpo, aparece
Nos vasos do nosso aparelho...
Nome, que a lenda fez velho,
Na "falta" que alto se entoa...
Bate no peito, apregoa
Dádivas deste alimento...
Vida, é sangue em movimento,
Sangue é vida que se doa...

II
Brinda Bíblias etéreas,
Como nobre sacrifício...
Faz-se sinal do ofício
Correndo pelas artérias...
Soletra as letras mais sérias
No coração, que renova
O plasma, que se comprova,
Como um contrato de amor...
Quando o seu nome é "Dador",
Numa terna e grata prova...

III
Dá-se um sinal de união,
Nos capilares de quem sente
O corpo sofrido e carente
Dos gestos de compaixão...
Actos, que são o que são,
Na compaixão que ressoa...
Sangue; esperança que voa,
No laço que é transmitido...
Tal como brinde oferecido
Do amor de uma pessoa...

IV
Aurícula de paz e de fé...
Primor de quem dá o que tem...
Pratica os caminhos do bem,
Na dádiva de ser o que é...
Sangue de vida e que até,
Serve argumento que trova...
O gesto que alto se louva;
Saber repartir com os seus...
Como um agente de Deus,
Que pratica a Boa-Nova...


António Prates

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Volte sempre!