1 de fev de 2010

O PODER DAS MULHERES .... não deixe de ler


As mulheres são os seres mais poderosos da Terra.
Sexo frágil? Qual?
Na realidade o que se deveria dizer é que sexo é o fraco dos homens,
e o forte das mulheres.
Como? Ora, desde sempre foi assim.
A própria narrativa do Gênesis diz que a mulher foi quem persuadiu o homem a comer do fruto. Sim, a mulher tem poder para fazer o homem comer qualquer fruto.



De fato, tal poder de persuasão decorre dessa força frágil, que geme,
que pede, que insinua, que paga com “alegrias”, que põe o homem no
caminho do desejo de possuir, sem saber que ele é o possuído;
isto quando a mulher é sábia.

Na minha maneira de ver não há nada de errado em possuir tal poder.
Afinal, essa persuasão é uma dádiva divina.
O problema é que na maioria das vezes esse poder é usado de modo burro e insensato.

Sim, porque ao invés de se persuadir para o que bom,
para o que concilia e promove a paz, e para tudo aquilo que possa ser
sedução da sensatez, essa força é, muitas vezes, apenas usada para
manipular e para negociar com o homem, e nos termos distorcidos dos machos.




Assim, esse maravilhoso poder passa a só ser percebido como sedução sexual, e quase nunca como poder para exercer a persuasão da sabedoria.

Isto porque é minha convicção que toda mulher que decide usar esse poder
para o bem, vem a tornar-se o ser mais desejável e bem-aventurado que
pode existir na vida.

Infelizmente, no entanto, as invejas, as vaidades, as competições pequenas,
e a mesquinharia, acabam por fazer com tal poder acabe por ser quase sempre apenas sedução para a guerra ou para a manipulação que torna a mulher menos mulher, e mais parecida com o homem.

Na realidade as mulheres parecem ter perdido a ambição da persuasão
da sabedoria.



De fato, a mulher sábia está fora de moda, e as que ainda existem têm medo de se manifestar, visto que sensatez virou caretice para boa parte das mulheres.

Então, vê-se essa virtude e poder sendo usados para se ‘revolver’ no pior da vida, e não para propor e viver a vida que constrange pela sabedoria.

De fato me alegro imensamente quando encontro uma mulher que é mais
confiante na sabedoria do que na sedução, e mais comprometida
com o poder do bom senso do que com a capacidade de usar seu poder para coisas pequenas, embora consideradas intocáveis como espertezas femininas.


Todo fruto, mesmo que venenoso, sendo dado por uma mulher,
tem o poder de se tornar irresistível.

Mas a mulher precisa recuperar a percepção de que sua grande força é ser mulher que persuade para o bem.

Não é à toa que S.Paulo diz que a mulher é a glória do homem!

“Glória”, antes de ser nome de mulher, deve ser o estado saudável do ser feminino.


Jornal A Crítica, de Manaus